92012mar

Cardiolipina, auto-anticorpos IgG, IgM, IgA

Comentários

Teste utilizado no diagnóstico da síndrome do anticorpo antifosfolípide (SAF). Esta pode ocorrer de forma isolada ou associada a outras doenças auto-imunes (LES em 15% dos casos). Anticorpos antifosfolípides estão associados a manifestações clínicas vasoclusivas, que incluem tromboembolismo venoso, oclusão arterial, livedo reticular, manifestações obstétricas como aborto e perda fetal, além de manifestações hematológicas como trombocitopenia.

O diagnóstico é realizado quando uma ou mais manifestações clínicas (trombose vascular e/ou morbidade gestacional) são encontradas e pelo menos um dos critérios laboratoriais é encontrado. Na pesquisa laboratorial para anticorpos anti-fosfolípides é recomendado a realização de ensaios para pesquisa de anticoagulante lúpico, anticorpos anti-cardiolipina e anticorpos anti2-glicoproteína 1, pois podem estar presentes de forma isolada.

1 cita os critérios laboratoriais para o diagnóstico da síndrome anticorpo anti-fosfolípides:

Critérios laboratoriais para o diagnóstico da síndrome anti-fosfolípides

1) A presença de anticorpos anti-cardiolipina IgG e ou IgM em soro ou plasma, com títulos médios ou altos, em duas ou mais ocasiões com intervalo de pelo menos doze semanas de diferença, mensurados pelo um método ELISA padronizado

2) Anticoagulante lúpico presente em plasma, em duas ou mais ocasiões com pelo menos doze semanas de diferença detectados de acordo com o Comitê Internacional Científico e de Padronização de Homeostase e Trombose.

3) Anticorpos anti2 glicoproteína 1 em soro ou plasma , em títulos > percentil 99th, em duas ou mais ocasiões com pelo menos doze semanas de diferença, mensurados por um método ELISA padronizado

Nota: É necessária a presença de pelo menos um dos critérios acima

Anticorpos contra fosfolípides podem ser identificados de três formas: 1) reação falso-positiva para sífilis através de VDRL reagente; 2) ensaio para anticoagulante lúpico; 3) ensaio para anticorpos anti2-glicoproteína 1; 4) dosagem de anticorpos anti-cardiolipina por ELISA. Anticorpos anti-cardiolipina IgG estão presentes em níveis moderados a elevados (maior que 40 GPL) e são mais específicos que os IgM para síndrome do AFL. Entretanto, alguns casos apresentam anticorpos apenas IgM ou, mais raramente, IgA. Podem estar presentes em outras doenças como: artrite reumatóide, doenças infecciosas (sífilis, tuberculose, hanseníase, endocardite infecciosa, infecção pelo HIV e infecções virais agudas) e em indivíduos utilizando clorpromazina. Nesses casos encontra-se, em geral títulos baixos e do isotipo IgM, não se observando fenômenos trombóticos. É importante lembrar que testes negativos não afastam completamente a presença de anticorpos antifosfolípides. Na vigência de uma trombose aguda, os títulos destes anticorpos podem declinar transitoriamente a níveis normais.

Veja também Anticoagulante lúpico.

Método

Imunoensaio enzimático

Condição

0,2mL de soro para cada.

Jejum Obrigatório 8h.